domingo, 20 de setembro de 2009

Aquele do Nietzsche

Ontem vi o filme “Quando Nietzsche chorou”. Segue a sinopse do UOL:

Produção baseada no livro de grande sucesso, que também já virou peça de teatro, do escritor Irvin Yalom. O filme conta a história fictícia de um encontro entre o filósofo alemão Friedrich Nietzsche (Armand Assante de Tudo por Dinheiro) e o médico Josef Breuer (Ben Cross de o Exorcista - O Início), conhecido por ter sido o mestre do pai da psicanálise, Sigmund Freud (que também aparece no filme na pele do ator Jamie Elman de o Preço de Uma Verdade). O filme se passa na época em que Nietzsche ainda é um filósofo desconhecido e com tendências suicidas. Ele está desesperado depois de se apaixonar por uma amiga, que acaba procurando o doutor Breuer para ajudá-lo. O médico, por seu lado, está envolvido emocionalmente por uma de suas pacientes. Assim, os dois começam mais do que uma ánalise, um verdadeiro conflito psicológico. O médico acaba envolvido pelas idéias de seu paciente mais famoso, e começa a perceber coisas que nem imaginava sobre si mesmo. O filme tem um diálogo forte que explora campos interessantes da filosofia e da psicologia.

Eu não li o livro, mas como sempre, imagino que seja MUITO melhor que o filme, que tem uns efeitos tosquinhos e uma montagem meia boca. Achei o Freud meio manezinho (hehehehe), mas minha crítica negativa ao filme pode ser por causa da minha antipatia com a Psicanálise (crianças, vocês me proibiram de falar muito detalhadamente sobre assuntos da Psicologia, então não vou defender tão arduamente minha posição aqui, basta saber que acho a Psicanálise interessante para conhecer, mas não para defender! Meus interesses são outros em Psicologia. Releiam o finzinho do post do Dom Casmurro e terão uma noção da minha birra com a Psicanálise...hehehehe). Fora a parte negativa que já comentei, o filme é legalzinho, principalmente pra assistir depois das aulas introdutórias de Psicanálise, muito do que o professor comentou, conseguimos vizualizar ali, algumas vezes escancaradamente, outras nem tanto.

Só mais uma coisinha: o Nietzsche “matou” Deus e depois não sabe porque é solitário e angustiado...ele matou a única pessoa que poderia estar com ele em todo tempo e ainda carregar o fardo pesado que cismamos em juntar!!

O próximo filme vai ser “Freud além da alma”, vamos ver se nesse ele fica menos manezinho! hehehehe

5 comentários:

Erika disse...

Ahhh ainda bem q tem post novo! Tava achando que isso aqui estava jogado as moscas. E pq vc não gosta de psicanálise Nadia? Me conta!

Junia disse...

Nossa, quanto post...

Bem, eu nunca vi esse filme... e continuo sem querer ver, rs. Não me atrai, não.



'vivers'

Kellen Turci disse...

O título dos últimos post me lembram tanto FRIENDS! rs
Saudades de vocês!
Ah, tenho birra com a Psicanálise também... Dudu que não me ouça!
Beijos

Debby disse...

Hahaha, mesmo falando de um filme, num papo sério, vc é engraçada, Nadinha. Adoro seus posts.
Confesso que o filme não me atraiu!

Bjoks

'locus'

Gabihh. disse...

Eu vi esse filme na aula de filosofia e isso me fez lembrar que eu agradeço por ter me formado e não ter mais aula de filosofia, apesar de tirar 10, não era minha matéria favorita. Disseram que o livro tem partes bem diferentes do filme.
Kisses